Sua escola está preparada para os desafios da BNCC em Língua Portuguesa?

O ano de 2019 trouxe mais um desafio para as escolas que possuem o Ensino Fundamental: a implementação da Base Nacional Comum Curricular – BNCC – no lugar dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN’s.

Dentre tantas discussões sobre como implementar, duas disciplinas receberam maior atenção no novo documento que orienta agora o ensino no país: Matemática e Língua Portuguesa.

Sempre há dúvidas e temores sobre como as mudanças ocorrerão, e, principalmente, como professores irão agir frente a esse novo desafio, pois são mudanças que exigem estudo e planejamento.

Para este ano de 2019 as mudanças ocorreram para o Ensino Fundamental em todo o país, e para o ano seguinte, será o Ensino Médio; a prova do ENEM de 2020 sofrerá mudanças com essa alteração.

Muitas escolas ainda não se aperceberam sobre a alteração que a BNCC vai acarretar. Na verdade, aguardam as alterações nas principais provas do país (como o ENEM, por exemplo) para saber como será exigido. Trata-se de um grande erro.

Com planejamento e calma é possível preparar a escola para a mudança, com reuniões, no mínimo mensais, para analisar o que a BNCC apresenta.

Para começar, trata-se de uma atualização, pois os PCN’s são da década de 90. O mundo mudou bastante de lá para cá. Essa atualização era mais do que necessária e urgente por que o perfil do aluno mudou.

Mas o que mudou no ensino de Língua Portuguesa, a disciplina em destaque neste artigo?

Foram acrescentados novos elementos principalmente da cultura digital; a relação do audiovisual com a produção da escrita. Vídeos do Youtube como material para análise de elementos discursivos e semióticos de maneira conjunta, por exemplo, estão mais relevantes do que nunca.

O estudo da gramática volta com mais força, embora já contextualizada no PCN de Língua Portuguesa, há um reforço e um apuro maior sobre como destacar dentro das práticas sociais, em nosso dia a dia.

Embora estivesse destacado anteriormente, a produção do discurso oral ganha mais peso, haja vista a relevância da cultura digital na BNCC. 

Podcasts, por exemplo, tornam-se agora material imprescindível para estudo em sala de aula. Porém mais importante é a análise sobre como a oralidade contribui na formação da competência linguística do aluno.

Entram novos elementos que não tinham relevância antes devido a uma cultura que estava em formação (melhor acesso a internet, o poder das redes sociais na sociedade). 

Hoje é fundamental a educação e a mediação do aparato digital por meio da língua de uso; como é o impacto na produção oral e textual que as novas tecnologias produzem.

Dois pontos que estão bem caracterizados na BNCC de Língua Portuguesa é a importância da cultura digital na sociedade, a análise e a produção no processo de construção da competência do usuário da língua. 

Mas, talvez, um dos grandes problemas para o professor seja como medir junto ao aluno a capacidade de reflexão e reprodução de forma competente para que se avalie o progresso.

As provas de admissão vão se tornar a ponta de lança, à medida que as provas vão denotando o que será questionado e exigido para admissão, mas o escopo já foi apresentado.

O momento agora é o de procurar novos materiais que permitem as novas abordagens. 

Como a análise semiótica se tornou mais relevante, um suporte que se destacou no PCN e vem ganhando valor junto às compras do MEC torna-se hoje um meio mais rico e de baixo custo para aquisição nas escolas e, principalmente, para os alunos.

O livro em quadrinhos é o suporte midiático que permite o estudo e a análise semiótica junto à produção textual que serve como base para o que vai ser exigido. 

A leitura de imagens e textos vão além da simples decodificação, exigindo do aluno capacidade maior de interpretação, ao mesmo tempo que age como facilitador para o estudo de temas que permitem uma abordagem que facilite a aprendizagem.

A produção de histórias em quadrinhos nacionais cresceu muito. Há uma produção atual que se preocupa em ocupar um espaço que permite a mediação com a literatura e a cultura brasileira, diminuindo atritos no processo de aprendizagem.

É o caso, por exemplo, do livro em quadrinhos Machado de Assis: caçador de monstros.

Com influências da narrativa mangá, um tipo de quadrinhos bastante consumido por crianças e adolescentes, o livro apresenta um jovem escritor Machado de Assis ao lado de seus principais personagens literários, resolvendo uma série de mistérios pelas ruas do Rio de Janeiro.

Não se trata de adaptação de uma obra específica, mas uma criação onde estão misturados elementos biográficos e literários em uma narrativa do gênero aventura. No livro, por exemplo, o leitor conhece a futura esposa de Machado de Assis.

Desse modo, o livro reflete a cultura brasileira e permite várias abordagens, inclusive em outras disciplinas como História, Geografia etc. Pode ser lido tanto por alunos do Ensino Fundamental (do 6º ao 9º Ano) quanto pelo Ensino Médio.

A leitura de imagens e textos na narrativa desse livro permite ao professor explorar junto ao aluno situações de aprendizagem de forma proativa já em um contexto socioeducacional a saber:

  • a narrativa se passa no Brasil no século XIX;
  • o personagem principal é o maior escritor da Literatura Brasileira;
  • estão lá modos e costumes da cultura brasileira que podem ser estudados pelos alunos.

Há um campo enorme a ser explorado que passa desde a análise gramatical, elementos da estrutura da narrativa, pesquisa histórica-literária, leitura dramatizada entre tantas outras possibilidades.

Conclusão

A BNCC é uma realidade hoje e desde já tanto a escola quanto seus professores precisam estudar o quanto antes e, mais ainda, desenvolver uma prática junto aos alunos para que se antecipem aos exames principais do país.

Livros em quadrinhos como Machado de Assis: caçador de monstros permitem a abordagem que a BNCC almeja, de uma forma menos custosa tanto para a escola quanto para o aluno, antecipando o modo como a disciplina de Língua Portuguesa será exigida.

Tanto escolas quanto professores que saírem na frente estarão mais preparados e familiarizados com a mudança dos PCN’s para a BNCC.

Se você quiser saber um pouco mais sobre o livro, você pode ler as primeiras páginas aqui neste link: Machado de Assis: caçador de monstros.

Você e sua escola estão preparados para os desafios da BNCC em Língua Portuguesa? Comente aqui. 

Deixe um comentário