Daniel Azulay o artista que não parou de se reinventar

Artista autodidata, educador e formado em Direito, desde 1969, Daniel Azulay foi um artista que influenciou toda a geração de 80.

Antes de as pessoas se preocuparem em ensinar as crianças sobre a importância do meio ambiente e do trabalho com reciclagem, de forma criativa, lá estava Daniel Azulay incentivando o uso desse tipo de material na educação.

Marcou época também, principalmente entre os anos de 82 a 84, a publicação da Turma do Lambe-Lambe em quadrinhos.

Foram anos maravilhosos para as crianças que assistiam o seu ídolo na televisão, ensinando como desenhar. É que desde a metade dos Anos 70, Azulay apresentava seu trabalho em programas educativos na TVE e posteriormente na Bandeirantes.

No final dos Anos 60, teve a oportunidade de conhecer Bob Kane, criador do Batman. Também conheceu os estúdios da Disney, no que certamente o influenciou em todo o seu trabalho nos anos posteriores.

Aos 18 anos, já ilustrava para o jornal dos Sports, o que lhe deu a experiência necessária para alçar voos mais altos.

Nos anos 90, reinventou-se com a informática, lançando CD-Rom e programas interativos. 

Essa experiência ele certamente trouxe de seus programas de televisão, onde pedia para que as crianças apontassem na tela da TV para onde iria a sua gravata (na verdade uma pequena animação que intrigava as crianças, fazendo com que elas participassem de forma ativa com o programa.

Autor de diversos livros e manuais de desenho voltados para crianças, tornou-se também um artista plástico de renome, participando de várias mostras de arte.

Desde os anos 70, ainda que não de forma contínua, sempre esteve produzindo para a televisão, tendo como foco principal a educação por meio da arte e o cuidado em divulgar, de forma criativa o uso de materiais recicláveis.

Atuou em canais abertos e canais por assinatura. Nos Anos de 2010, começou, logo no início, a produzir também cursos online, seguindo uma tendência dos anos posteriores.

Em 2018, recebeu um prêmio, dentre tantos ao longo de sua vida, por toda sua obra no campo dos quadrinhos. Foi o Trofeu HQ Mix, importante prêmio do mercado nacional de quadrinhos.

Aos 72 anos, realizando tratamento de leucemia, acabou contraindo o novo Coronavírus, falecendo no dia 27 de março de 2020 no Rio de Janeiro.

Ele era natural do Rio de Janeiro, nascido no dia 30 de maio de 1947.

O trabalho dele foi tão importante que influenciou o roteirista Marcelo Alves, quando criança, a escrever história em quadrinhos.

Não apenas isso, mas nas revistas em quadrinhos da Turma do Lambe-Lambe sempre havia material extra como passatempos e reportagens sobre como era produzida uma história em quadrinhos.

O livro em quadrinhos Machado de Assis: caçador de monstros, com o seu material extra, como, por exemplo, trecho do roteiro para que os leitores tenham ideia sobre como é feito um roteiro de quadrinhos, foi resultado dessa influência na infância, carregando por toda a sua vida.

Caso você queira saber mais sobre Machado de Assis: caçador de monstros, veja AQUI. 

Você conhece o trabalho de Daniel Azulay? Comente aqui o que mais chamou a sua atenção na obra dele.

Deixe um comentário