A compra da Millarworld pela Netflix

 

A compra da Millarworld pela Netflix mostra o potencial das HQ’s para outras plataformas, estabelecendo um novo passo na produção de conteúdo da empresa de streaming.

 

Se comparada com a compra da Marvel pela Disney, foi irrisória, com certeza. Porém agora a Netflix possui a sua fonte própria com um autor já bastante reconhecido no mercado e que já vem há uns bons anos realizando a dobradinha com o cinema.

 

Para a Netflix ainda é um desafio, pois os investimentos precisam superar as expectativas , negativas, no momento, de que a mesma vai ampliar seu quadro de assinantes e crescer mais.

 

Se antes a Netflix correu para se tornar a HBO antes que a HBO se tornasse a Netflix, agora a Netflix quer se tornar a Disney, antes que a Disney se torne a Netflix, nas devidas limitações, claro.

 

É importante lembrar que há pouco tempo atrás a Netflix pretendia extrapolar suas principais séries de sucesso, Stranger Things, entre outras, para outras mídias como HQ, games etc.

 

Na busca por novas receitas, novos mercados, fortalecendo o seu pilar principal, as produções para filmes e séries na internet.

 

Se isso acontecer, suspeito que Mark Millar gerenciar esse novo possível braço da empresa: o mercado de HQ’s.

 

E claro, teremos minisséries e filmes do Millarworld, porém suspeito que foi para além disso a compra anunciada.

 

Enquanto isso, no Brasil, lutamos a nossa luta diária, nós que produzimos HQ, no crowdfunding, pois o potencial de mercado e vendas e transposições para outras mídias, licenciamento de produtos…

 

Quão longe está da visão do governo. Nem sombra nem água fresca. Um deserto de ideias que se restringe a uns poucos editais aqui e acolá. Nem uma linha de crédito do BNDES ( e por favor, não citem o PROCULT. Aquilo não é para a nossa realidade).

 

Mas o problema não se restringe aos quadrinhos. Até há pouco tempos atrás uma certa ministra de cultura disse que game era para crianças.

 

Acho que devemos olhar Mark Millar, a Millarworld e a compra feita pela Netflix com olhos famintos por negócios.

 

Não dá mais para esperar pelo governo. Pelo reconhecimento do governo, seja qual for a esfera administrativa. O mundo lá fora se agita com o potencial das HQ’s.

 

Foi assim quando a Amazon comprou a Comixology. Quando a Disney comprou a Marvel. Quando a Warner passou a investir pesado em seus personagens da DC (estou falando dos seriados: o sucesso da Supergirl e agora a Mulher Maravilha no cinema).

 

É apenas um desabafo. E uma proposta para reflexão.

 

Para encerrar. O motivo real deste post. Um infográfico bem simples, uma singela homenagem, apresentando Mark Millar para você, leitor.

 

E você? Tem alguma dica sobre Mark Millar e o Millarworld que queira compartilhar?

 

A Primal Studio é uma produtora cultural com projetos incríveis na área de quadrinhos (também) e agora estamos ajudando pessoas e organizações a se prepararem para o crowdfunding.

 

Não sabe como funciona o crowdfunding? Ou como ele pode ajudar seu projeto cultural? É só clicar AQUI.

 

Quer saber como ajudá-lo? Entre em contato e nos envie um e-mail. É só clicar AQUI.

 

Assine a nossa newsletter AQUI e nos acompanhe nas redes sociais.

 

Estamos sempre com novos projetos no ar. Em breve, daremos início a uma nova campanha de crowdfunding.

 

Aguarde!

Fonte:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mark_Millar

https://en.wikipedia.org/wiki/Mark_Millar

http://legiaodosherois.uol.com.br/lista/as-10-melhores-historias-de-mark-millar.html

https://omelete.uol.com.br/

Foto: © Luigi Novi / Wikimedia Commons

Deixe um comentário